Ricardo Oliveira

Fotojornalista

Ricardo Oliveira é amazonense, iniciou sua carreira no Rio de Janeiro, onde morou e estudou na FotoRiografia, com os professores Walter Firmo e Ivan Lima. Em 1995, voltou para Manaus e desde então atua na imprensa local.
Foi um dos vencedores do I Prêmio de Jornalismo Governo do Estado do Amazonas. Participou da exposição coletiva “É Tempo de Brasil”, no Museu do Louvre, em Paris, durante a Copa do Mundo FIFA de Futebol de 1998. No mesmo ano, publicou ensaio no livro “Amazônia: Olhar Sem Fronteiras”, coletiva com fotógrafos sul-americanos, organizado pela Funarte.
Em 2002, concluiu pós-graduação em “Fotografia como Instrumento de Pesquisa nas Ciências Sociais”, na Universidade Candido Mendes (RJ), quando realizou, sob a orientação do professor Dr. Milton Guran, um trabalho antropológico sobre os músicos que tocam choro do tradicional bairro carioca da Penha.
Em 2007, registrou em livro o tradicional Festival Folclórico do Amazonas, organizado pelo fotógrafo Lula Sampaio, com apoio do Governo do Estado do Amazonas e Secretaria de Cultura.
Também tem experiência como fotojornalista no campo científico-tecnológico, tendo sido bolsista do Programação Comunicação Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Com o apoio dessa instituição, lançou o livro “Amazônia – Olhares”, um ensaio sobre cenas do cotidiano da vida amazônica, registradas em coberturas jornalísticas para essa Fundação. Em 2008 e 2011, foi finalista do Prêmio Embratel de Reportagem – Regional Norte, com o trabalho “Os Waimiri-Atroari: Massacres, Riquezas e Mistérios” (texto e fotos) e com o Caderno Especial Fronteiras.
Em 2014, ganhou prêmio Sebrae Nacional de Fotografia, com a reportagem “Milagre dos Peixes”, no Amazonas em Tempo.
Neste ano de 2016, ganhou o Prêmio Nacional MPT Ministério Público do Trabalho, a 7ª edição do Prêmio Anamatra de Direitos Humanos e o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos (Menção Honrosa) com reportagem sobre o “Piabeiros e Piaçabeiros às Margens do Rio Negro e das Leis Trabalhistas e dos Direitos Humanos”
É colaborador do staff da Tyba Agência Fotográfica, eleita melhor agência de fotos do Brasil pela revista francesa “Photo”.